Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Aeronave de Sorocaba é apreendida na Paraíba com 750 kg de cocaína; quatro pessoas foram presas

Foto: divulgação/Polícia Militar
Postado em: 10/12/2020

Compartilhe esta notícia:

A Polícia Militar interceptou uma aeronave de Sorocaba com uma carga de cocaína avaliada em aproximadamente R$ 30 milhões, no começo da tarde dessa última quarta-feira (9), no aeródromo da cidade de Catolé do Rocha, que fica no Sertão da Paraíba. O entorpecente, que pesava 752 quilos, estava distribuído em trinta e duas caixas. Esta foi a maior apreensão de drogas no Estado, este ano.

 

Quatro suspeitos que estavam na aeronave foram presos em flagrante. Um deles tem 57 anos e é do Rio de Janeiro; O segundo tem 42 anos é de São Paulo; O terceiro tem 32 anos e também é de São Paulo; O quarto preso tem 30 anos e é do Estado de Minas Gerais. Os acusados revelaram que a droga foi trazida da Bahia, mas não quiseram adiantar detalhes sobre o destino do entorpecente.

 

O esquema do tráfico, que usou a aeronave como meio de transporte da cocaína, foi desarticulado pelas equipes do 12º Batalhão, 6ª Companhia do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e Força Regional, após informações de que carros estariam perto do aeródromo para receber uma carga de drogas. Os veículos ainda não foram localizados.



Os presos foram apresentados com a droga na Delegacia de Polícia, em Catolé do Rocha. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) também foi informada sobre a apreensão. As investigações devem revelar se a rota do tráfico era predominante na região Nordeste ou se fazia parte de um contexto nacional ou até mesmo internacional.

 

A empresa que fez o transporte da carga, a NHR Táxi Aéreo, é de Sorocaba. Ela encaminhou uma nota de posicionamento sobre o caso. Confira abaixo. 

 

"A empresa NHR TÁXI AÉREO é uma empresa idônea que atua no ramo de táxi enfretamento aéreo há mais de 20 anos, transportando cargas e pessoas.

Na data de 08 de dezembro, foi contratada para fretamento de caixas contendo (em tese) peças automotivas.  Assim, estava apenas realizando serviço para qual foi contratada: transportar mercadoria, que estava acondicionada em caixas lacradas, acompanhadas de duas pessoas.

Dessa forma, a empresa NHR esclarece que não tem qualquer relação com a droga encontrada no interior de sua aeronave, bem como não tinha ciência alguma de que transportava produtos ilícitos, sendo tão vítima quanto a coletividade.


Toda a contratação foi feita dentro da normalidade de qualquer ato comercial, não havendo qualquer motivo para associar a empresa e seus pilotos ao ilícito praticado."

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Anvisa encerra inspeção em fábrica de insumos da AstraZeneca

Em reunião com empresários, Doria propõe que Dia das Mães seja adiado para agosto

Projeto oferece segunda opinião gratuita para diagnóstico de covid-19

Prefeitura cadastra professores eventuais a partir de quinta-feira

Quarteto é preso pela Polícia Militar após assaltar comércio em Itu

Marco Aurélio Mello diz que Kassio Nunes não é desembargador: ‘É uma vaidade’