Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Aborto legal em menina estuprada no ES é ´crime hediondo´, diz presidente da CNBB

Foto: divulgação
Postado em: 19/08/2020

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte, publicou em sua página no Facebook uma nota em que chamou de "crime hediondo" o aborto realizado na menina de 10 anos que foi estuprada pelo tio em São Mateus (ES), cidade a 218 km da capital Vitória.


"Lamentável presenciar aqueles que representam a Lei e o Estado com a missão de defender a vida, decidirem pela morte de uma criança de apenas cinco meses, cuja mãe é uma menina de dez anos. Dois crimes hediondos", escreveu dom Walmor nesta segunda (17).


"A violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se explica, diante de todos os recursos existentes e colocados à disposição para garantir a vida das duas crianças", completa. O procedimento, legal e autorizado pela Justiça, foi realizado em maternidade pública do Recife. O hospital que fez um primeiro atendimento à menina no Espírito Santo se recusou a fazer o aborto.


Pela lei brasileira, o aborto é autorizado em casos de gravidez resultante de estupro, desde que o procedimento tenha consentimento da gestante ou, em caso de incapaz, de seu representante legal.


Em entrevista à Rede Aparecida, o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, dom Ricardo Hoepers, reafirmou o posicionamento de dom Walmor ao dizer que o aborto não deveria ser feito. "Tínhamos condições de manter as duas vidas. Essa é a posição da Igreja", disse.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Doria diz que Bolsonaro deve sair da "bolha de ódio" e acordar para a realidade

Dona de casa é encontrada morta após crime brutal; vítima foi esfaqueada

USP apura 21 suspeitas de fraude nas cotas; alunos cancelam matrícula

Um a cada cinco mortos pela Covid-19 em SP tem menos de 60 anos

Moro afirmou inverdade e sabe disso, afirma advogado de Bolsonaro

Moro se opõe a Bolsonaro e forma bloco de apoio a Mandetta com Guedes