Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

A rotina do trabalho

Postado em: 03/09/2018

Compartilhe esta notícia:

Não há como evitar isso – o trabalho faz parte da vida de todos. Você tem que trabalhar. Eu não descobri uma maneira de conquistar os resultados que procuro sem trabalhar. Algumas pessoas conseguem. Essas pessoas não são pessoas que você deseja se espelhar. O trabalho não é importante apenas por representar a principal fonte de renda, mas também porque é a principal fonte tanto de sua satisfação pessoal e profissional, quanto de sua satisfação interior.

Eu já falei sobre a importância de gostar o que você faz, no entanto, discordo da afirmação: “Apenas ame o que você faz e você nunca vai trabalhar um dia em sua vida” – bobagem! Não importa o quanto você ama o que faz, é simplesmente trabalho! Além disso, às vezes não será divertido. Às vezes você vai odiá-lo. Mesmo que você goste muito do seu trabalho, e sinta a verdadeira realização de toda a energia criativa e divertida que você tem em seu coração, mente, corpo e alma, às vezes você vai se cansar e vai odiá-lo, mesmo que seja apenas por um momento. Isso é realidade.

Eu amo o que eu faço. Além do trabalho propriamente dito, tenho oportunidade de viajar para ótimos lugares, fico em ótimos hotéis, como em ótimos restaurantes, trabalho com ótimas pessoas. Mas às vezes eu odeio isso. Fico cansado só de pensar em entrar em mais um avião, dormir em outro quarto de hotel, comer refeições prontas. Isso significa que eu não amo o que faço para viver? De modo nenhum. Eu amo meu trabalho, sou realmente apaixonado pelo que faço. Além disso, eu não trocaria por qualquer outra profissão. Significa apenas que estou cansado. No entanto, não estou cansado de fazer o que realmente gosto. Estou cansado de toda rotina em torno do meu trabalho – a viagem, lidar com aeroportos e hotéis e empresas de aluguel de carros, estar longe de casa e sentir saudade da minha família, amigos e minhas coisas – cansado de tudo que faz parte do que faço mas não exatamente o que faço.

Essa é a realidade do trabalho. Você tem que lidar com uma rotina que suporta aquilo que você realmente gosta de fazer. Isso se aplica para praticamente qualquer profissão. Você sempre terá uma parte do seu tempo dedicada à esta rotina, e deve aprender a lidar com isso.

Por exemplo, como arquiteto de soluções em software, além do tempo efetivamente empregado na definição dos requisitos e design da solução que meu time vai construir, uma boa parcela do meu tempo é empregada participando de reuniões, videoconferências, conversando com profissionais que trabalham para nossos clientes, elaborando documentos técnicos, e claro, viajando. Você pode evitar essa rotina? A resposta é um sonoro não. Isso vem com o pacote, faz parte daquilo que você gosta de fazer. Você gosta disso? Talvez não. Não importa se você gosta, isso é parte do seu trabalho.

Realmente não importa muito o que você faz para viver; você descobrirá que uma parte do seu tempo será empregado nesta rotina. Você é um gerente? Quanto tempo você gasta realmente gerenciando? Você é um bom advogado? Quanto tempo você passa efetivamente advogando? Você é um excelente jornalista? Quanto tempo passa efetivamente produzindo conteúdo?

Qual é o meu ponto? Ame a parte do que você faz, e aprenda a lidar com a rotina que suporta aquilo que você faz. No final do dia, você será recompensado, principalmente pelo trabalho que você gosta de fazer.

Não me entenda mal, não quero desmotivar você – quero apenas que você entenda que a rotina faz parte do seu trabalho. Este é um fato baseado na realidade. Trabalho é trabalho. E muitas vezes o trabalho é rotina. Encare de frente essa rotina. Aprenda a lidar com ela. Tire o melhor desta rotina.

Enquanto o trabalho, às vezes, é apenas trabalho, eu acredito que é importante para nós entendermos porque vamos trabalhar todos os dias. Acredito que saber o porquê nos ajuda a lidar com o como. A principal razão é manter seus clientes satisfeitos e conquistar novos clientes.

Essa é a razão pela qual você vai trabalhar todos os dias. É claro que sei que muitos de vocês rejeitarão imediatamente essas razões dizendo que você não tem clientes, mas você tem. Todo mundo tem clientes. Você pode chamá-los de outra coisa, mas você ainda tem clientes. Você pode chamá-los de clientes. Na comunidade médica, você os chamaria de pacientes. Na educação, estudantes. Você também pode chamá-los de colegas de trabalho ou funcionários. O que você não pode esquecer é: seu trabalho exige que você sirva aos outros. Mesmo se você é o chefe, você deve servir seus funcionários. Todos nós temos que servir alguém. Profissionalmente esse “alguém” é o seu cliente.

por Carlos Mattos


Este artigo é de inteira responsabilidade do autor.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Isolamento social em Sorocaba despenca 11% de domingo para segunda

“Obstáculos serão vencidos”, diz Bolsonaro durante cerimônia militar

INSS suspende atendimento por 15 dias para conter coronavírus

Caixa credita nesta segunda-feira saque emergencial do FGTS para nascidos em junho

Governo do Estado anuncia a contratação de 5,8 mil policiais militares e civis

Padre Flávio condena pronunciamento de Bolsonaro e dispara: "palavras irresponsáveis"