Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

A crise da cultura no conservatório dramático de Tatuí - confira a coluna de José Simões

Postado em: 16/12/2020

Compartilhe esta notícia:

Em 2017, no dia 13 de dezembro, por meio do despacho de José Luiz Pena,  Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, designou a Organização Social “Abaçaí Cultura e Arte” como gerenciadora do “Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí”. 

 

Na época a  “Associação de Amigos do Conservatório de Tatuí“ também se manifestou como interessada em continuar gerenciando o conservatório. Ambas foram consideradas aptas, porém, segundo o  “Parecer Técnico expedido pela Unidade de Formação Cultural e o Parecer Econômico-Financeiro expedido pela Unidade de Monitoramento, ambas as Organizações Sociais “ todavia a “Abaçaí Cultura e Arte” foi a escolhida.

 

Pois bem, em 2020, antes do contrato terminar, a Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado publicou, no dia 5 de novembro, o edital para credenciamento de uma OS para a Gestão do Conservatório em substituição a Abaçaí.

 

Mas por que? O que seria? Falta de recursos? Problemas na gerência do equipamento? A Secretaria responde:  “Trata-se de uma medida preventiva, em razão de abertura de procedimento administrativo interno em face da atual gestora do Conservatório, ainda não finalizado.” A Abaçaí responde que o problema foi que durante 2020 não fez a captação.

 

No meio disso tudo estão os artistas, as artes de uma região.

 

Os artistas foram informados que a Organização Social SUSTENIDOS, que  poderá vir a assumir a administração do conservatório, apresentou um plano com fortes impactos aos trabalhos que estão sendo realizados no Conservatório Dramático de Tatuí.

 

Como assim acabar com os cursos de teatro?

 

Como extinguir o único de Cenografia da Região?

 

Como acabar com bandas e grupos musicais únicos?

 

Não é preciso de dizer e nem lembrar que o Conservatório de Tatuí é um orgulho para a Região Metropolitana de Sorocaba. É urgente que a sociedade civil, os nossos representantes estaduais e federais se movimentem e protejam a cultura da região.

 

Basta de espalhar cortes e mais cortes e nenhum investimento na Cultura da RMS.

 

Basta de desmontes na Cultura da Região Metropolita de Sorocaba.

 

Basta!

 

José Simões é professor e crítico teatral

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Papa Francisco emite decreto que obriga bispos a denunciar casos de abuso sexual

Jair Bolsonaro diz que JN ‘não tem mais teta’ e que Globo é uma empresa ‘ditatorial’

Diretor do Saae dispara à CP: servidor usava o nome da vice para se ausentar

Comitê de Direitos Humanos de Sorocaba pede cassação de vereador Rodrigo Manga por quebra de decoro

GCM detém dupla flagrada com armas de fogo e drogas na Zona Oeste de Sorocaba

WhatsApp permite denúncias de infrações de trânsito cometidas em Sorocaba