Foto: Reprodução Facebook

O Ministério Público de Sorocaba ingressou com ação na Vara da Fazenda Pública contra o vereador licenciado e atual secretário de Relações Institucionais e Metropolitanas da Prefeitura de Sorocaba, Marinho Marte, acusando-o de “tomar” dinheiro de seus assessores, com participação de seu chefe de gabinete, além de reportar “ameaças” dele contra as testemunhas. O processo, o qual o Ipa Online teve acesso exclusivo, corre em segredo de Justiça.

O promotor Orlando Bastos Filho pede ao prefeito José Crespo (DEM) o afastamento “imediato” do secretário de suas funções no Paço, sob o risco de “improbidade administrativa”. E ainda acusa Ilzo Lourenço Pereira e o advogado Joel de Araújo de coagirem as testemunhas do caso.

Segundo o MP, Marinho Marte, “sob ameaça de exoneração”, “toma parte dos vencimentos de seus assessores, para custear despesas geradas por empresa contratada para serviços de publicidade em redes sociais, a fim de alavancar a sua candidatura à reeleição [na Câmara]”.

O MP afirma que Marinho Marte “tomava” R$ 215 de cada assessor [no total de seis]. O dinheiro era “recolhido” por Ilzo. Orlando Bastos Filho informa ao juízo que todas as “tomadas de dinheiro eram feitas sob ameaça de exoneração”.

Após as eleições, conforme o MP nos autos, Marinho Marte continuou “tomando” de cada assessor a quantia de R$ 200, sob alegação de “dificuldades financeiras”. Também alega que o réu, ao menos desde janeiro de 2011 até dezembro de 2016, enquanto vereador, fazia com que seus assessores “arcassem com as despesas de Correios, em torno de R$ 50 a R$ 80 por mês de cada um deles”. Marinho Marte gabava-se de ser o vereador que menos gastava com despesas de Correios por mês na Câmara Municipal de Sorocaba.

Orlando Bastos Filho anexou aos autos gravações desses depoimentos, inclusive com citações de ex-assessores de Marinho Marte, que alegam ter sido coagidos por Ilzo e pelo advogado Joel de Araújo.

Uma testemunha nos autos disse a Orlando que Marinho Marte “ameaça de demissão quem não paga [os assessores]”. O vereador, prossegue o MP, chegou a pedir até a verba rescisória de uma assessora, sob a alegação de que “precisava fazer uma viagem recreativa”.

Por fim, Orlando Bastos Filho pede ao juiz Alexandre Dartanhan de Mello Guerra o afastamento de Marinho Marte da Prefeitura de Sorocaba, necessária à instrução processual, sob o risco de improbidade administrativa “sem prejuízo de remuneração”.

Outro lado

Procurado pelo Ipa Online, Marinho Marte informou que ainda não foi notificado da ação e que, dessa forma, não poderia falar a respeito do assunto. Segundo ele, o MP “o persegue” e que essa ação “seria algo pessoal do promotor contra ele”.

O advogado Joel de Araújo, também procurado pela reportagem, informou que não iria se manifestar sobre o assunto.

O chefe de gabinete de Marinho Marte, Ilzo Lourenço Pereira, não foi localizado pela reportagem.

A Prefeitura de Sorocaba, por meio do secretário Eloy de Oliveira, informou não ter sido notificada sobre o assunto.

4 Comentários

  1. Mas esse promotor tem que dar explicações do envolvimento pessoal que ele tem com a Fernanda ex assessora do vereador pq já vi eles várias vezez em clubes com ela em cenas romanticas bebendo na noitada e várias vezes comendo coxinha na padaria real perto da prefeitura em horário que ela deveria estar na Câmara trabalhando e devem investigar também pq ele como promotor recebe salário tão acima do teto acho que no passado o marinho deve ter tomado alguma mulher dele kkkk isso é perceguissao política primeiro crespo agora ele só falta Anselmo agora kkkk

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here