Já ouviu falar em depressão vaginal? Conheça sintomas e tratamento

Foto: reprodução/internet

A vagina também pode entrar em estado de depressão e sofrer de angústia. Pode até parecer engraçado a princípio, mas é mais sério do que você imagina. Somente no Brasil, o mal afeta cerca de 150 mil mulheres anualmente. As causas da doença ainda são desconhecidas e o caso pode ser tratável com medicamentos, além de outros procedimentos, como a acupuntura.

Mas o que é a depressão vaginal?

Ela tem nome e chama-se vulvodinia [ou vestibulite vulvar]. Em suma, é uma dor crônica na área em torno da abertura da vagina.

Causas

A causa ainda é desconhecida. Entretanto, é necessário buscar ajuda médica para iniciar um diagnóstico mais preciso e então realizar o tratamento adequado.

Quais são os principais sintomas?

Queimação e irritação na área genital. A dor pode ser constante ou aparecer de vez em quando e até mesmo durar meses. Ela também pode sumir sem explicação ou recomeçar de maneira repentina.

Tipos de dores

Podem manifestar-se de diversas formas, como locais, sendo vagina ou pélvis; durante o sexo. A mulher também pode apresentar inflamação na vulva, secura vaginal ou disfunção sexual, formigamento e queimação.

Idades mais afetadas

O mal pode aparecer ainda na adolescência, a partir dos 14 anos, e afetar mulheres também na fase adulta, inclusive durante o período da menopausa.

Tratamento

São três os eixos de tratamento: medicamentos, físico e até mesmo psicológico. Na área de remédios são utilizados anestésicos para bloquear a dor na área. Já na parte física a fisioterapia auxilia na restauração e reforço muscular e a acupuntura trata pontos específicos do corpo para aliviar a dor. Na área psicológica o tratamento consiste na terapia cognitivo-comportamental para focar em modificações de comportamento, respostas emocionais e pensamentos negativos.

Especialistas

A mulher pode procurar um clínico-geral ou ginecologista e obstetra. Estes devem indicar o melhor tipo de tratamento para cada paciente.

Fontes: hospital Israelita Albert Einstein