O caso ocorreu em 2017, mas não custa relembrar e mostrar que os sonhos e convicções não tem limites para quem acredita… A paixão por carros é algo que Leonardo de Souza, de 18 anos, cultiva desde pequeno. Aos três anos, o estudante ganhou o seu primeiro veículo: um Jeep elétrico amarelo.

Desde lá, acumulou outros diversos carros de brinquedo para a coleção e em 2017, realizou o sonho de tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A história de Leonardo – que poderia descrever a trajetória de muitos jovens atualmente – possui um fator especial: ele foi o primeiro motorista sem os dois braços a prestar o exame de direção e a ser aprovado no Amazonas (AM). “A vida não tem limites”.

Leonardo nasceu sem os dois membros superiores por conta de uma má formação congênita e, quando criança, fazia fisioterapia pelo menos três vezes na semana. O estudante viaja uma vez ao ano para São Paulo, onde segue tratamento na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). Ele conta que a ausência dos braços nunca o impediu ou o desmotivou de fazer nada – pelo contrário.

foto-reprodução

“A minha condição me motiva mais. Quero mostrar que nossos sonhos podem se tornar realidade. Não há barreiras que nos impeçam de realizá-los”, disse Leonardo, ao afirmar que nunca sofreu preconceito. “As pessoas me olham chocadas, mas não ligo para isso. Até me divirto”, brincou.

E quando Leonardo diz “tudo”, ele quer dizer tudo mesmo: o estudante usa o WhatsApp, acessa a Internet, troca de roupa, come e, agora, adicionou a direção à extensa lista de coisas que ele consegue fazer por conta própria, sempre com o auxílio dos pés. Até mesmo um drone, de modelo Phantom 4, o jovem pilota. Ele credencia o encorajamento para buscar os sonhos à família e aos amigos.

Sonho realizado
Leonardo de Souza realizou a prova, e foi notificado de que passou no exame de direção. Todo o processo durou cerca de um ano, com o estudante sendo aprovado, também, nas etapas de Psicotécnico e Legislação. “Sempre foi um sonho meu”, revelou.

foto-reprodução

A prova de direção foi realizada em um veículo especial, adaptado por um amigo do jovem. Os pedais do carro, precisaram ser ajustados para cima e para a frente. “Esse amigo sempre soube do meu sonho de dirigir, então comprei o carro e ele deu um jeito.

Após a adaptação do veículo, Leonardo foi à autoescola e ao Detran-AM solicitar que um perito fosse avaliar o carro. Nos dias de treinamento, o instrutor do jovem ia buscá-lo em casa e o levava para realizar as aulas práticas e o exame final.

Parabéns Leonardo, por nos mostrar que nada é impossível para quem tem força de vontade 😉

Veja e saiba mais sobre o mundo PCD em: www.pcdef.com.br
PCDef
diferente mas igual