Cadela aprende libras e atende comando dos donos

foto-reprodução

Uma cachorrinha extremamente especial, ela entende “libras”. Os professores foram os próprios donos que são deficientes auditivos. A ferinha além de segurança da casa claro também é a companhia da família, cheia de charme a cadelinha chamada “bela” com quase 3 anos de idade.

Os irmãos Tainá de 16 anos e Andrei de 23 anos tem um canal no youtube (https://www.youtube.com/user/andreiborges1) na cidade de Caxias do Sul cidade da Serra Gaúcha próxima a de Porto Alegre, os dois nasceram surdo e só se comunicam através da linguagem dos sinais.

Os irmãos que já possuem o canal a mais de 2 anos começaram a passar dicas e contar mais sobre a vida dos surdos, o canal já possui mais de 42 mil inscritos, mas a sensação da atualidade é a cachorrinha que foi apresentada pelos irmãos e conforme o vídeo ela começou a aprender a linguagem dos sinais, eles até mostram como fazem e durante as gravações eles mostram ! “e não é que belinha atende mesmo de acordo com os gestos de Tainá”.

E claro por traz de tudo isso está uma família, os pais que não são surdos tiveram que aprender para poder auxiliá-los no decorrer da vida, primeiro a mãe que iniciou o aprendizado logo após o nascimento de Andrei, para que pudesse ajudá-lo com os estudos, e logo em seguida o pai também começou a fazer parte desse universo.

foto-reprodução-youtube

Tainá que já está concluindo o ensino médio e Andrei cursando 2 faculdades são o orgulho da família, Tainá conta que no começo do ensino para belinha passava repetidamente os gestos para que ela pudesse compreender, rapidamente belinha começou a interagir com os sinais, a troca por bolachinhas foi o incentivo para que belinha fizesse sempre de acordo com os gestos. Tainá diz que é engraçado que agora toda vez que ela faz algo que é recompensada ela chama a atenção de Tainá para que dê a recompensa.

É impressionante como a cadelinha passou a notar que os irmãos não “falam” então ela fica sempre atenta aos sinais, Tainá acha que isso fez com que ela compreende-se mais rapidamente os gestos, e até aprendeu a chamar a atenção deles em algumas situações como a campainha, que mesmo com um aviso de uma luz, belinha ouve e vai chamá-los. Agora a belinha é a estrela da casa e até já virou uma espécie de mascote da luta dos surdos pela inclusão.

Os irmãos também falam sobre o olhar dos “ouvintes” quanto ao universo dos surdos, “as pessoas imaginam que não temos vida social diz Andrei” que não conseguem conviver com as pessoas que escutam, acham que a gente não viaja e que só vivemos reclusos, mas tentamos mostrar que existe uma cultura surda, uma identidade surda, Tainá completa “precisamos acabar com esse preconceito e conviver mais com os surdos”.

A família conta também sobre a questão dos filmes, a lei complementar que foi implantada em Caxias do Sul, garante a disponibilização de filmes com legendas nos cinemas e também intérpretes de libras nas apresentações teatrais do município (chama: Legendas para quem não ouve, mas se emociona), no Brasil somente Caxias do Sul e Recife possuem essa lei.

foto-reprodução-youtube

Veja e saiba mais sobre o mundo PCD em www.pcdef.com.br

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here