Aplicativo permite que deficientes visuais “chamem” ônibus

Imagem: Arquivo

Um aplicativo no celular permite que cegos e pessoas com baixa visão “chamem” o ônibus do transporte coletivo em Campo Grande MS. Com o nome “Todos no Ônibus”, o recurso permite que pessoas cadastradas informem sua localização para tablet instalados nos veículos, que atuam nas 189 linhas do transporte urbano.

O dispositivo vai emitir um sinal sonoro e, na parada no ponto, o motorista chama a pessoa pelo nome, informando que é a linha solicitada. Na sequência, ambos devem confirmar o embarque por meio do aplicativo.

Presidente do Ismac (Instituto Sul-mato-grossense para Cegos Florivaldo Vargas), Márcio Ramos afirma que o lançamento do aplicativo é um momento muito esperado. “O projeto começou em 2012 e em algumas das etapas faltou vontade política para sair do papel. A grande vantagem é que não estaremos dependendo de terceiros, correndo risco de perder o ônibus ou chegar atrasado. É a garantia de ir e vir”, diz.

Segundo o promotor Eduardo Cândia, que atua na área de Direitos Humanos, o produto, desenvolvido por vários parceiros, foi resultado de uma provocação ao Ministério Público sobre acessibilidade no transporte coletivo. “Procurou-se construir pela perspectiva de quem vai usar”, afirma.

De acordo com o diretor-presidente da Agetec (Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação), Paulo Fernandes Garcia Cardoso, o aplicativo não está finalizado e será aprimorado a partir do uso das pessoas cadastradas.

Ao todo, o Consórcio Guaicurus investiu R$ 5 milhões em novas tecnologias. “O investimento é feito desde 2012, com monitoramento do deslocamento dos veículos, QR Code nos pontos de ônibus, sistema de acompanhamento”, afirma o diretor-presidente do consórcio, João Rezende.

O QR Code é um código de barras bidimensional escaneado por smartphones, com os quais o usuário tem informações como o tempo de chegada das linhas que passam pelo local.

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) afirma que o aplicativo vai ser estendido para quem necessita de atendimento especial. “Todos no Ônibus é para deixar claro que a ideia da prefeitura é entregar o serviço a todos os públicos”, diz.

O “Todos no Ônibus” levou oito meses para entrar em operação e teve a parceria do Ismac, Advms (Associação dos Deficientes Visuais de Mato Grosso do Sul) e do MP/MS (Ministério Público). O instituto e a associação têm cadastrados 1,6 mil pessoas com deficiência visual em Campo Grande.

Dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone 0800 647-0060.

Veja e saiba mais sobre o mundo PCD em: www.pcdef.com.br
PCDef – diferente mas igual