São números deste tipo que dão significado à palavra fenômeno. De acordo com dados revelados pela Epic Games, Fortnite já chegou à marca de 15 milhões de jogadores no Android, apenas um mês após seu lançamento segmentado para o sistema operacional. O game pode ser baixado por meio de um convite e se encontra em estágio Beta, disponível para um número limitado de dispositivos, com 23 milhões de pessoas tendo se cadastrado para experimentá-lo.

Com tanta gente, interesse e, principalmente, segmentação, o combate ao malware se tornou prioridade para a produtora. De acordo com a Epic, junto com otimizar o título, garantir que seus jogadores estejam seguros — principalmente aqueles que ainda não entraram no jogo, ou seja, mais suscetíveis a cair em golpes — é fundamental.

Segundo a companhia, 47 sites responsáveis por distribuir versões comprometidas do APK de Fortnite já foram retirados do ar, com mais a caminho. A empresa considera “não autorizadas” todas as distribuições do aplicativo do game fora de seu ambiente oficial e diz ter um time interno dedicado exclusivamente a localizar e tomar atitudes contra disponibilizações desse tipo, bem como ter contratado uma companhia externa de sistemas antifraude para ajudar nesse trabalho de policiamento.

A Epic Games também cita as parcerias como fundamentais nesse processo. Fortnite, por algum tempo, foi exclusivo de celulares da Samsung, o que fez ccom que a marca sul-coreana fosse essencial no processo de desenvolvimento do título, permitindo testes e implementando mudanças rapidamente para garantir a melhor performance. O mesmo, afirma a companhia, vale para a Google, cujos engenheiros auxiliaram no processo, principalmente em quesitos específicos relacionados a memória e implementações OpenGL.

A fragmentação existente no sistema operacional também foi uma preocupação para a produtora e a levou a criar quatro padrões principais de detalhes visuais para Fortnite — Baixo, Médio, Alto e Épico. Tais configurações são aplicadas automaticamente de acordo com o aparelho que o game está sendo executado e servem como forma de garantir um funcionamento adequado, independentemente do hardware utilizado. A mais baixa, por exemplo, reduz os detalhes ao mínimo enquanto a mais alta de todas tem todos os efeitos visuais ligados e permite que o jogador enxergue o mais longe possível.

Perfis específicos para certas GPUs também foram criados, como a Adreno 54x e a Mali G72. Aqui, configurações ainda mais específicas são aplicadas, de olho em hardwares específicos, assim como acontece com configurações criadas para determinados aparelhos. O Google Pixel 2 XL e o Samsung Galaxy Note 9 receberam essa atenção de forma a rodar Fortnite da melhor maneira possível.

A lista de smartphones compatíveis com Fortnite no Android já foi divulgada. Caso o seu faça parte da relação, você pode se inscrever para receber um convite para o game em seu site oficial.

Fonte: CanalTech / Epic Games