SOCHI, RÚSSIA, 18.06.2018: TREINO-SELEÇÃO - O técnico Tite durante treino da seleção brasileira realizado no Swissôtel Sochi, na Rússia, nesta segunda-feira (18). A equipe se prepara para a 2ª partida do Grupo E da Copa do Mundo, contra a Costa Rica.(Foto: Ricardo Nogueira/FotoFC/Folhapress)

Sérgio Rangel e Luiz Cosenzo, FOLHAPRESS

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) pretende protestar na Fifa contra o árbitro mexicano César Ramos, que apitou Brasil 1 x 1 Suíça no domingo (17).

De acordo com os integrantes da comissão técnica, Ramos errou ao não pedir o uso do VAR (árbitro-assistente de vídeo, na sigla em inglês) no lance do gol da Suíça, marcado por Steven Zuber aos 5min do segundo tempo.

Segundo o técnico Tite e o coordenador de seleções, Edu Gaspar, o zagueiro Miranda teria sido empurrado pelo suíço na jogada do gol.

No documento, que ainda está sendo formulado, a CBF questionará os critérios para a utilização do VAR. Após o jogo, o quarto árbitro informou a Gaspar que a decisão do mexicano foi correta.

A atitude da CBF serve apenas para pressionar a Fifa, e não há chances de o resultado da partida ser alterado.

Desde o Mundial da Argentina, em 1978, o Brasil não empatava numa estreia de Copa do Mundo. Além disso, nenhuma das campanhas vitoriosas em Mundiais (1958,1962,1970,1994 e 2002) começou com empate.

Com um ponto, o Brasil está empatado com a Suíça no segundo lugar do grupo E. A Sérvia é lider, com três, e a Costa Rica, lanterna, com zero.

Na sexta (22), às 9h (de Brasília), o Brasil enfrenta a Costa Rica, em São Petersburgo.