Se pararmos para pensar vemos que nossa vida é cercada de momentos – bons e ruins. Apesar de as redes sociais mostrarem exatamente o contrário, não há ninguém que viva 100% do seu tempo plenamente feliz. Acredite. O sofrimento faz parte de nossa existência e ela é essencial para sabermos lidar melhor com nossas emoções e assim evoluirmos como seres humanos.

Porém, momentos (ou fases) extremamente dolorosas pelas quais passamos são bem mais difíceis de lidar e mesmo de aceitar e aí pode surgir uma série de complicações, como a depressão e a rebeldia.

O que é fato é que diante de um problema de difícil solução sempre temos dois caminhos: se revoltar e lutar contra tudo e todos ou aceitar e trabalhar para sair daquela situação – sempre com um nível de crescimento pessoal e espiritual

O que fará a diferença nesse seu processo será a aceitação, ou seja, a forma como aceita, entende e tenta lidar com isso da melhor maneira possível. Aceitar o que não podemos mudar é de vital importância para que possamos seguir adiante, tocar com as nossas vidas e até mesmo mudá-la para melhor. É o famoso ditado “faça do limão uma limonada”.

Caso não aceite a realidade pela qual está passando, provavelmente irá sofrer mais do que o necessário além do que isso lhe trará um desgaste emocional muito grande. É claro que não estamos falando para ficar inerte diante de uma situação que lhe incomoda. Se for do seu alcance, crie um plano de ação e veja como melhorar este aspecto em sua vida ou em você mesmo. Se nada pode ser feito para contornar a situação (um divórcio, a morte de um ente querido por exemplo) o melhor a ser feito é aceitar a realidade. Esse já é um passo muito importante para que as coisas comecem a mudar para um cenário mais positivo para você.

Mas vale lembrar que aceitação é diferente de resignação*. Vamos esclarecer: aceitação se orienta rumo a tolerar uma situação, entender que assim é a vida e nem tudo é bom, porém com uma inclinação para o agir. Já a resignação ocorre quando não toleramos uma situação e tendemos a colocar a culpa no outro pelos nossos problemas. Por exemplo, quando as coisas não são como as desejamos, nos fechamos, e tendemos a inércia e paralisação. As emoções negativas surgem e nos rendemos, acreditamos que não podemos melhorar nossa vida. Por isso a importância da aceitação.

E lembre-se: o seu futuro está em suas mãos. Só você pode criá-lo, modificá-lo e reinventá-lo, por meio da realidade e dos recursos que tem hoje. Por isso, faça seu melhor, sempre!

Até semana que vem!

Grande beijo,

DIVS