O DEDA QUESTÃO

Ainda haverá anúncio oficial, mas no início da madrugada de hoje a vice-prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho, comunicou ao presidente do seu partido, o PTB, o deputado estadual Campo Machado, de que decidiu aceitar o chamado para ser candidata à deputada estadual na eleição de outubro próximo.

Jaqueline, vale lembrar, ganhou notoriedade quando do desentendimento com o prefeito Crespo, onde chegou a ser impedida de entrar em sua sala na prefeitura, e recebeu a solidariedade da maioria das mulheres e de parcela significativa da opinião pública.

Daquele momento, 9 meses atrás, até a decisão neste 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, Jaqueline ocupou o cargo de prefeito por 42 dias (período em que Crespo esteve cassado) e se reconciliou com o chefe do executivo.

As consequências da sua candidatura ainda serão medidas ao longo dos dias.

Uma delas é se sua decisão vai dividir o grupo que se alinhou à ela no processo de cassação do Crespo, uma vez que ao menos dois desses vereadores (Rodrigo Manga, presidente da Câmara, e Fausto Peres, que presidiu a Comissão Processante contra Crespo) também serão candidatos.

Outra consequência é no voto feminino da Região Metropolitana de Sorocaba uma vez que nas últimas quatro eleições, Maria Lúcia Amary (que é de Sorocaba) e Rita Passos (que é de Itu) foram as únicas lideranças femininas que disputaram e estão sendo bem sucedidas há 20 anos (caso da Maria Lúcia) e 12 anos (caso de Rita Passos).