O DEDA QUESTÃO

O presidente do São Bento, advogado Márcio Rogério Dias, em entrevista coletiva convocada na manhã desta terça-feira (17 de julho), na sala de imprensa do Estádio Municipal Walter Ribeiro (CIC), em tom de desabafo, falou sobre o mais turbulento momento vivido pelo clube nos últimos 7 anos. Depois de sucessivos sucessos, o que colocou o São Bento entre os maiores 40 times do Brasil, a equipe vem de 3 derrotas consecutivas desde a turbulenta demissão do técnico Paulo Roberto Santos que bateu o recorde no comando da equipe. Chegou um momento em que ele era o técnico há mais tempo no comando de um time em todas as séries do futebol brasileiro.

Em que pese, portanto, concordâncias, discordâncias sobre a forma como Paulo Roberto deixou o comando da equipe, isso é passado. De nada adianta esse debate. Se tivesse feito isso… Se não tivesse feito aquilo… Se pegasse… Futebol exige praticidade e, agora, isso significa vencer os jogos. O técnico e os jogadores precisam trabalhar e responder dentro de campo com vitórias.

Fora de campo esse grupo de pessoas (formado pelos que estiveram na direção e os que estão) merece todo o respeito da sociedade sorocabana, pois na garra e na marra eles devolveram ao sorocabano o orgulho de um patrimônio que é nosso, o São Bento. Nada, nem que o pior venha ocorrer, pode apagar o que essa diretoria e a anterior fizeram pelo time do São Bento que foi lhe dar credibilidade, organização e planejamento.

Por isso, nem mesmo o calor de uma quarta derrota, no jogo contra a Ponte Preta, sábado passado, ameniza o absurdo que foi a agressão sofrida pelo presidente Márcio: “Eu não merecia uma agressão, com o meu filho, uma criança, do lado. Como fica minha família? Foi uma cena horrível que espero que meu filho não leve para frente”.

Márcio Rogério Dias falou, ininterruptamente, por mais de 40 minutos e concluiu: “Eu peço à torcida de verdade um voto de confiança ao trabalho da diretoria, pois a força de dentro é bem maior do que os ventos contra. Espero que o agressor tenha a humildade de vir pedir desculpas no final do campeonato”.

Você, presidente, e todos vocês que estão juntos desde 2011 merecem a confiança de toda a sociedade. Por isso saio em defesa de vocês.