O DEDA QUESTÃO

O Projeto de Decreto Legislativo 22/2018, de autoria do vereador Luís Santos (Pros), em votação única, que concede o Título de Cidadão Sorocabano ao deputado federal Jair Messias Bolsonaro, foi retirado de pauta a pedido do vereador José Francisco Martinez (PSDB).

O autor defendeu a manutenção da proposta em pauta, mas o pedido de retirada da matéria foi aprovado pelos vereadores. Segundo o presidente, Rodrigo manga (DEM), o projeto deve retornar à pauta após as eleições de outubro. Manifestantes contrários da proposta, além de simpatizantes do deputado, lotaram a galeria da Câmara para acompanhar a votação.

Essa foi a forma encontrada para colocar fim aos dois grandes méritos dessa concessão de Título de Cidadão a Bolsonaro: 1º) mostrar quem, dos representantes da comunidade, está afinado com a ideologia de Bolsonaro; 2º) permitir que o sorocabano viesse no mundo real o clima de ódio que se vive no mundo virtual, em redes sociais.

Fica claro que há um clima de animosidade e intolerância de ambos os lados seja em agressões verbais, em ironias, em provocações, em agressões físicas.

Fica claro, igualmente, que um mesmo objeto (no caso o do ponto de vista semiótico) pode ser visto nas mesmas condições e a interpretação que se faz dele é absolutamente antagônica, uma vez que que sua significação é dada por quem o interpreta.

Quem é Bolsonaro para seus seguidores?

Segundo o texto oficial, divulgado pela Câmara de Vereadores, é um “Oficial do Exército formado pela Academia Militar de Agulhas Negras e professor de Educação Física, Bolsonaro é paulista de Campinas onde nasceu 21 de março de 1955. Nas eleições de 2014, elegeu-se para seu sétimo mandato na Câmara dos Deputados, com 46.565 votos, sendo o mais votado do Estado do Rio de Janeiro e o terceiro mais votado do país.

Luís Santos, autor da propositura do título a ele, destaca que Jair Bolsonaro ‘é conhecido por suas posições em defesa da família, da soberania nacional, do direito à propriedade e dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa’.

Afirma ainda o vereador que o parlamentar ‘destacou-se na luta contra a erotização infantil nas escolas e por um maior rigor disciplinar nesses estabelecimentos; pela redução da maioridade penal; pelo armamento do cidadão de bem e o direito à legítima defesa; pela segurança jurídica na atuação policial e pelos valores cristãos’.

Lembra ainda que Bolsonaro foi o idealizador do voto impresso, visando dar mais transparência às eleições.

Quem é Bolsonaro para seus antagonistas?

Os movimentos sociais da cidade de Sorocaba (veja postagem anterior) repudiam a entrega do Título de Cidadão Sorocabano ao Deputado Federal, Jair Bolsonaro, pois “além de não ter contribuído em nada com o crescimento e desenvolvimento da cidade, ele apresenta posturas e comportamentos abertamente homofóbico, violento, sexista, machista, misógino e racista por natureza e convicção”, afirmam. E elencam 4 pontos para sustentar o que vêem nele:

1) O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) afirmou nesta terça-feira (8) em sessão do Conselho de Ética da Câmara que o coronel reformado, Carlos Brilhante Ustra, é um ‘herói brasileiro’;. Ustra, que morreu aos 83 anos em 2015, é conhecido na primeira instância da Justiça como torturador no período da ditadura militar (1964-1985). (fonte: G1 – 08.nov.2006).

2) A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve nesta terça-feira (15), por unanimidade, a condenação do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) pelas ofensas dirigidas à também deputada Maria do Rosário (PT-RS). Bolsonaro foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF), em 2015, a pagar indenização de R$ 10 mil à petista por danos morais, mas recorreu. Ainda segundo a decisão, Bolsonaro deveria se retratar publicamente em jornais, no Facebook e no Youtube. Em 2014, Bolsonaro afirmou que Maria do Rosário não merecia ser estuprada porque ele a considera “muito feia”; e a petista não faz o “tipo”; dele. Por essa mesma declaração, o deputado é réu no Supremo Tribunal Federal (STF). (fonte: G1, 15 ago.2017)

3) Jair Bolsonaro defendeu a saída do Brasil de tratados internacionais de direitos humanos, a redução da maioridade penal para 14 anos e que policiais tenham autorização para matar em confronto com criminosos sem que venham a ser punidos. Bolsonaro palestrou na Universidade Fumec, instituição privada de Belo Horizonte […] (fonte: Jornal Valor econômico, 15 set.2017).

4) O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) esteve na última segunda-feira (03) no clube Hebraica, na zona sul do Rio. Enquanto 100 pessoas protestavam do lado de fora, outras 300 lotavam o auditório. Segundo o Estadão, o presidenciável prometeu que irá acabar com todas as reservas indígenas e comunidades quilombolas do país caso seja eleito em 2018.

Bolsonaro aproveitou o momento para desancar a ex-presidente Dilma Rousseff e comunidades tradicionais: “– Pode ter certeza que se eu chegar lá não vai ter dinheiro pra ONG. Se depender de mim, todo cidadão vai ter uma arma de fogo dentro de casa. Não vai ter um centímetro demarcado para reserva indígena ou para quilombola.“

Em fevereiro, na Paraíba, Bolsonaro sugeriu dar um fuzil para os fazendeiros como cartão de visita contra o MST.

E você, que Bolsonaro vê? Mais, você arriscaria seu voto nesse candidato à presidência da República?

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here