UOL/FOLHAPRESS

Dorival Júnior não é mais o técnico do São Paulo. Após reunião realizada entre integrantes do departamento de futebol e a cúpula do clube nesta sexta-feira (9), foi decidida a demissão do treinador, que tinha contrato com o clube tricolor até o fim deste ano. Ainda não foi definido quem será o substituto, mas André Jardine, Diego Aguirre, Jorginho, Leonardo, Vanderlei Luxemburgo, Abel Braga e Cuca têm seus nomes especulados.

O técnico do sub-20 tricolor, Jardine, estava de férias, mas vai assumir interinamente o cargo e já comanda o treino desta sexta. Em nota oficial, o São Paulo afirmou que a diretoria se manifestará sobre o assunto em entrevista coletiva à tarde, no CT da Barra Funda.

No domingo (11), no Morumbi, o time enfrenta o Red Bull e precisa de um triunfo para garantir a primeira colocação no seu grupo. A principal organizada do clube, a Independente, já convocou um protesto para ninguém entrar no estádio.

A derrota do São Paulo para o Palmeiras por 2 a 0 nesta quinta-feira (8) foi decisiva para a queda de Dorival. Com o resultado, a equipe fechou a primeira fase do Paulistão sem vencer clássicos -também perdeu para o Corinthians e o Santo.

Apesar da classificação para as quartas de final, a campanha da equipe é bastante irregular no estadual: são 14 pontos conquistados em 11 jogos, com quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas, tendo 42,4% de aproveitamento.

Boa parte dos diretores que trabalham no Morumbi já não acreditava no trabalho de Dorival desde a derrota para o Santos, mas o treinador seguia com o voto de confiança de quem está no dia a dia no CT da Barra Funda, como Raí, Ricardo Rocha e Lugano. Porém, a pressão sobre os integrantes do departamento de futebol aumentou consideravelmente nos últimos dias e a troca no comando se tornou inevitável.

Contratado para substituir Rogério Ceni como técnico do São Paulo em julho do ano passado. No total, ele dirigiu o time em 40 partidas, com 17 vitórias, dez empates e 13 derrotas -aproveitamento de 50,83% dos pontos.