Por Djalma Luiz Benette

A postagem onde falei que o vereador Fausto Peres foi à Central de Atendimento do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e constatou que apenas 5 ambulâncias estão em circulação e as outras 5 estão em manutenção, e onde também falei que este problema existe desde 2013, gerou minhas perguntas: por que nada muda? Mudou o prefeito, mudou o secretário da saúde, mudou o gestor, mas o problema segue sendo o mesmo. Até quando será assim?

Quem veio com a resposta foi leitor deste blog (com qualificação para dizer o que disse) que por razões de segurança da integridade física dele aceitei manter em sigilo uma vez que o mais importante aqui é o que ele diz e não quem está dizendo. E ele disse que o problema das ambulâncias ninguém resolve porque temem enfrentar o problema. Na Postagem anterior é possível ler tudo o que ele diz.

Pois bem, médicos e funcionários do Samu se ofenderam com o que disse o leitor deste blog e responderam a ele, embora com muitas críticas a mim, mas ainda não explicaram o fato que originou todas essas postagens: porque há 4 anos, pelo menos, se mantém o mesmo problema de apenas metade da frota de ambulância atender a população.

Leia a indignação

Profissional do Samu Sorocaba, que prefere o anonimato: É indignante essa matéria. Preciso esclarecer fatos sobre as infrutíferas e inescrupulosas alegações feitas ao Samu. Inclusive sugiro ao senhor jornalista deste blog conhecer de perto o serviço e utilizar-se de portarias do Ministério da Saúde que regulamentam a Política Nacional de Atenção às Urgências.

Posso dizer que o Samu Sorocaba está dentro dos padrões ministeriais e as ambulâncias paradas fazem parte da chamada reserva técnica e, portanto, é normal que não rodem e que exista rodízio entre esses carros previsto para a manutenção corretiva e preventiva dos mesmos que rodam exaustivamente em 24h todos os dias do ano ao longo desses 12 anos.

Gostaria muito que provassem com fatos concretos como uma ambulância gasta 100 litros de combustível por dia. Dado infundado e insensato. Abominável. Outra acusação absurda é essa de dizer que são utilizadas ambulâncias brancas para o transporte de cadáveres. Para isso há resolução do conselho Federal de Medicina e duas empresas funerárias que, em sistema de rodízio, atendem ao município.

Em raríssimas situações de comoção e ou impacto social há transporte de cadáveres que estão em via pública. Nossas ambulâncias não são rabecões. Somos éticos e responsáveis com tudo o que fazemos. Lembrando que, inclusive, somos usuários potenciais desse serviço e não fazemos para o outro o que não queremos para nós e as nossas famílias.

Gostaria que esse leitor anônimo solicitasse uma visita e viesse conhecer nosso serviço e ver de perto como trabalhamos e entendendo de fato, dentro da legalidade, o que nos é de direito. Falo como servidora pública municipal e como cidadã sorocabana. E afirmo: não há máfia alguma nesse serviço. Há trabalho dentro da ética e da legalidade. A máfia está dentro dessa cabeças medíocre e inescrupulosa que disse tudo o que disse.

Katia Kaam Salvestro, médica em Hospital Santa Casa de Sorocaba e Samu: Como assim? Trabalho no SAMU e acho que o mínimo que teriam que fazer, por um jornalismo sério, seria checar a veracidade dessas acusações seríssimas que foram feitas. Pois nos três anos que trabalho lá nunca vi coisa parecida. Ao contrário, vejo muito comprometimento e seriedade de todos nós que fazemos parte dessa família.

Janayne Faria, médica plantonista UTI em Hospital São Camilo São Paulo: lamentável esse comentário. Não estou mais no Samu, mas sei da seriedade dos profissionais. De todos eles, sejam reguladores, médicos, motoristas, enfermagem, coordenação. Apesar de manter anônimo o denunciante, caberia um BO pela equipe para comprovar a inveracidade dos fatos.

Que o problema é econômico, todos sabem. Mas jogar a culpa em profissionais que trabalham sob qualquer situação, condição, no mínimo lamentável. Coisas de desocupados e mal intencionados!

Juliana Prata, técnico em enfermagem no Samu Sorocaba: que barbaridade você publicou. Há sim problema no Samu, mas é por causa da gestão. Quem falou o que foi publicado não sabe nem um terço da realidade e é idiota.

O verdadeiro problema que o Samu enfrenta não é o que essa pessoa afirma. Aliás, vai saber se não é fictícia. Ele passa informação sem lógica com a realidade. Eram duas ambulâncias Alpha e o prefeito cortou uma.

Elaine Camargo, funcionária da ambulância branca da Prefeitura: Trabalho no setor da ambulância branca e sempre fiz o meu serviço com total responsabilidade. Gostaria muito que o leitor deste blog que respondeu a essa matéria viesse e falasse quando essas coisas relatadas por ele aconteceram. Em qual gestão e época, pois estou há 4 anos como motorista da ambulância branca e nunca presenciei as coisa ditas nessa reportagem. Isso fere a dignidade de quem trabalha seriamente e faz por amor a profissão e respeito ao próximo.

Denunciante mantém o que disse

Infelizmente a chiadeira sempre vai existir. A médica Kátia Kaahn é aquela que estava de plantão no dia que em que os vereadores Fausto Peres e Vitão do Cachorrão foram ao Samu de madrugada e os médicos estavam em casa dormindo.

O fato é que sei o que estou falando! Não sou leviano! Acredito que fiz a minha parte como cidadão: denunciar! Agora cabe à Corregedoria da Prefeitura investigar! Além disso, o vereador Péricles Régis está levantando o tema e falou na sessão de quinta-feira passada que pensa em organiza uma CPI sobre o tema.

Com relação ao transporte de mortos que eu citei, só para esclarecer alguns pontos: O pessoal da ambulância branca (Sama) que faz o transporte sanitário como Hemodiálise, quimio, exames etc pega nome de pessoa morta e preenche uma ficha de transporte, tipo para Araçatuba 500 km, principalmente de madrugada ou fim de semana!

Eles não levam porque a pessoa não existe, mas calculam quantos litros gastam e tiram da viatura e levantam no macaco para dar a quilometragem. Ganham então as horas e sempre com horas-extras, pedágio, alimentação etc.

No começo deste novo governo alguns funcionários foram exonerados, mas como são concursados ficaram no departamento e começaram a sabotar as viaturas colocando água no motor, cortando fios etc. Todos no Samu sabem disso! Teve dias que só tinha uma ambulância do Samu ficou rodando em Sorocaba!!! Mas repito, a máfia das ambulâncias é na Sama (ambulância branca).

1 Comentário

  1. O grande problema deste serviço como todos os demais oferecidos em convênios dos municípios com os estados e principalmente a união é que os entes superiores através destes convênios transferem aos municípios a gestão destes serviços ( ônus ) sem o respectivo ( bônus ) para a manutenção do aparelho mesmos visto que as verbas repassadas são em sua maioria insuficientes para manutenção dos mesmos obrigando os municípios a retirarem verbas que seriam obrigatoriamente usadas na atenção primária que é sua área de atuação para cobrir estes serviços que deveriam ser mantidos pelas esferas superiores na atenção secundaria e terciária do SUS. Os. Municípios mais uma vez prejudicados como também observamos na educação.

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here