Defesa feita por vereador de secretário da Saúde gera reação de funcionários do Paço

Por Djalma Luiz Benette

O discurso de fortalecimento da atenção básica, ao menos aos ouvidos de dos leigos, como os meus, indica no mínimo bom senso. Faz total sentido e por isso merece apoio.

Mas um ouvinte do Jornal da Ipanema, que acompanha O Deda Questão na rádio e aqui no blog diariamente, e que por razões pessoais, profissionais e particulares pede para ter seu nome preservado (E assim farei), me escreve uma longa reflexão que mais do que uma defesa dos governos tucanos de Sorocaba, é elemento que qualifica o debate proposto pelo vereador Renan dos Santos (PCdoB), presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Sorocaba, ao apontar o dedo ao PSDB quando fala dos problemas de saúde da cidade.

A seguir, todo o texto é dessa minha fonte:

Me deixa em dúvida o foco do vereador Renan nos governos dos últimos 12 anos (de Vitor Lippi e Pannunzio) dizendo que o “planejamento do Dr Ademir” parece o correto.
O engraçado é que Dr Ademir já foi secretário da Saúde outras duas vezes, justamente nesse período de 12 anos criticado pelo vereador Renan. Quando ele não foi diretamente o secretário, foi assessor direto do então secretário, por longos anos. Dr. Ademir é funcionário de carreira há 36 anos na Prefeitura de Sorocaba.

Pergunto: A Câmara, que agora defende tanto o atual secretário, não tem memória em lembrar que Dr Ademir, ao menos até outubro de 2012, ajudou a construir esse modelo que agora se reconhece que precisa mudar?

É muito verdade que o Dr. Ademir conhece MUITO da “teoria” do SUS, e do “ideal” que deveria ser. Inegável. Seu discurso de fortalecimento da atenção básica é encantador! Falar ainda a “língua do povão”, abolindo os termos técnicos usados só por quem é do meio da saúde, e utilizar a palavra “postinho” ao se referir às Unidades Básicas de Saúde pode até soar “simpático” a todos. A imprensa o adora. A Câmara, idem. Porém, o que de fato fez Dr. Ademir Watanabe até agora, em termos de “GESTÃO PÚBLICA”, sobretudo em termos administrativos e financeiros – Hoje, o grande e verdadeiro nó da Saúde Pública de todo Brasil? Absolutamente nada!

Isso quer dizer que ele é mal-intencionado? Ou então é um “corrupto”, “bandido”, “enganador”? NÃO! De jeito nenhum. De maneira alguma. Mas é inegável que já se mostrou um péssimo GESTOR PÚBLICO, pois sua habilidade se interrompe somente em seu “discurso doce” da teoria do SUS, facilmente digerido e “comprado” por todos. Não vamos nos esquecer que Dr Armando Raggio (esse SIM, de reputação bastante duvidosa), também tinha uma “conversa agradável” que encantou a todos, sobre teoria do “SUS”… E deu no que já sabemos.

Vale relembrar alguns fatos.

É nítido, claro e notório que, assim como em todo Brasil, a Saúde em Sorocaba está falida. Claro! Mas o que ocasionou tal situação especificamente em Sorocaba? Vamos relembrar, senhor Renan e senhores vereadores?

Primeiramente, devemos lembrar que os problemas não são recentes, embora tenham efetivamente estourado/transbordado recentemente. Mas tudo isso só ocorreu devido a péssima gestão que foi gradualmente sendo feita ao longo dos últimos anos, culminando agora no colapso total quando aliou-se, por fim, à crise financeira.

Dr. Ademir Watanabe já foi Secretário de Saúde em outras duas oportunidades e, com a exceção dos últimos 04 anos (2013-2016), sempre esteve na gestão da SES, senão como Secretário, como Assessor direto dos Secretários.

Durante o período em que fez a gestão da SES foram cometidos os maiores ABSURDOS DE GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA da história da pasta, o que agravou – e muito – o quadro da saúde pública nos dias atuais, de crise financeira… Afinal, antes, quando havia dinheiro/recursos disponíveis ao ponto de não se conseguir efetivamente nem gastar e devolver recursos vinculados ao Ministério da Saúde (coisa que era corriqueira, sobretudo recursos de Vigilância em Saúde), o problema era facilmente mascarado.

Vamos abordar por tópicos:

SANTA CASA: Hoje todos sabemos que a Santa Casa (Irmandade) possui alta dívida. Mas essa dívida foi gerada agora? Não! É culpa de anos e anos de repasse de dinheiro público à Irmandade, sem a devida FISCALIZAÇÃO da prestação de contas. Tudo isso ocorreu até Janeiro de 2014, quando o Hospital foi requisitado. Dr. Ademir participou efetivamente da gestão da SES até Outubro de 2012, por anos a fio, e nunca levantou qualquer suspeita ou irregularidade a respeito dos desvios de verba que ocorreram na Santa Casa. Então ele é um criminoso? De novo: NÃO! Mas foi omisso em seu papel de gestor durante muito tempo, deixando a coisa chegar nos níveis que chegaram.

FURA-FILA: Havia a falta de uma Central de Regulação Municipal em Sorocaba (um absurdo em uma cidade deste porte). A Regulação só foi criada em Outubro de 2013 (quando Dr Ademir esteve fora da gestão da SES, depois de anos). Até então, havia apenas desordem. Alega-se que ocorreu o chamado “fura-fila”, inclusive, motivado pela ausência de uma regulação. E então: Lembram quando ocorreu? Sim, quando Dr. Ademir era Secretário da Saúde. Entendem o motivo pelo qual ele é “unanimidade” entre vereadores, sobretudo os daquela época? É porque ele sabe bem jogar o jogo do toma-lá-dá-cá. Inclusive, permitiu agora que seus cargos de confiança fossem todos exonerados, para loteamento político da Câmara e afins. Mostrou-se revoltado, mas só jogo de cena.

Afinal, “o dele” está garantido ao fim do mês. Contudo, assim ele “fica bem na fita” com todo mundo. Por isso é “amado”. Detalhe engraçado: Na ação do fura fila, foram todos indiciados: Os 20 vereadores da época, mais o Prefeito da época, e mais o médico que era o profissional técnico da época que, indicado por ele e a pedido/mando/ordem dele (Dr Ademir), fazia seu papel de atender aos pacientes. Mas sabe o que é engraçado? O Secretário da Saúde da época (o próprio Dr. Ademir) ficou “de fora” do processo!!!

Estranho, não? Se há a suspeita de ação irregular, onde ocorria na pasta da SES, e ele era o Secretário… E se todos foram indiciados, do Prefeito ao médico profissional técnico, passando por todos os vereadores… Não é no mínimo estranho que Dr. Ademir tenha ficado “de fora”, se era o Secretário da Saúde da época? Enfim… Deve ter ocorrido alguma “delação premiada”. Quem saber, não é?

TAC DA SAÚDE MENTAL (Desinstitucionalização): Uma das maiores aberrações jurídicas IMPOSTAS ao município de Sorocaba goela abaixo. Custa quase R$ 30 milhoes/ano para a Secretaria da Saúde desde então, sem o devido repasse das demais esferas… E por que? Justamente porque foi mal elaborado, feito e discutido pelo representante de Sorocaba.

Quem era na época? Ele mesmo: Ademir Watanabe! O ano era 2012. Renato Amary já havia rompido com Vitor Lippi e, por isso, sendo da turma do Renato e sabedor que provavelmente estaria fora da gestão da SES, nem se preocupou em defender os interesses da saúde do município, e seus recursos. Saiu da pasta em outubro de 2012, escapando inclusive de assinar o TAC que ele mesmo discutiu integralmente em nome da cidade de Sorocaba.

SAMU REGIONAL 192: Outra coisa que foi imposta a Sorocaba quando Dr Ademir era secretário da Saúde e, não tendo capacidade de gestão administrativa e financeira, aceitou o que foi imposto. Resultado: Durante mais de 10 anos, o município arcou INTEGRALMENTE com o custeio do serviço regional, sem receber nenhum centavo dos demais municípios, Estado ou União. Só em 2015 (Dr Ademir fora da gestão SES), que as providencias de habilitação e qualificação do serviço foram tomadas, com recursos chegando agora em 2017. Há inclusive este vídeo (https://youtu.be/4WlQpgCSxp8) para relembrar a “inauguração” do SAMU 192 REGIONAL…. Com Sorocaba PAGANDO A CONTA (alta!) sozinha, pelo tipo de gestão do Dr. Ademir, seguidamente tão elogiada pelos vereadores!

Por fim, alie-se a isso a outras aberrações diversas pormenores cometidas, sempre tentando agradar a todas para “tapar o sol com a peneira”… Médicos não querem trabalhar? Oras… Vamos dar um jeitinho de pagar mais pra eles! Agradar a classe! Vamos criar as horas cirúrgicas! Vamos criar horas suplementares! Vamos fazer vista grossa para a “farra dos bois” dos plantões, onde existem 12 médicos em um turno de plantão para uma unidade que só possui 6 ou 7 consultórios? E daí, não é mesmo? Deixando correr solto, os próprios médicos se revezam e não deixam a coisa “dar imprensa”, e enganamos o povo e ficamos todos felizes! Dinheiro tem mesmo! Viva!!!

Pois é… Mas e quando não há mais dinheiro? O que fazer? Será que Dr Ademir sabe fazer GESTAO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA, que é o que o momento requer?

Isso sem falar que Dr Ademir, quando saiu da gestão da SES e se viu obrigado a atender como médico em “postinhos” como ele diz, apresentou sucessivos atestados médicos, e por tempos ficou afastado do trabalho e impossibilitado de atender a rede COMO MEDICO QUE É, por estar “doente”. Contudo, tão logo seu grupo político ganhou a eleição, misteriosamente houve um milagre que lhe trouxe a cura, podendo o mesmo voltar a trabalhar normalmente… Mas não como medico no “postinho”, mas sim com alto cargo comissionado e, agora, como secretário.

Bom. Esses são apenas alguns poucos motivos pelo qual me revolto tanto quanto escuto todos dizendo “maravilhas” do Dr Ademir Watanabe…

Te mando isso para sua reflexão enquanto formador de opinião que é. Peço SIGILO, pois são informações compiladas de várias fontes que trabalham dentro da prefeitura há anos e não merecem ser prejudicadas.

Pergunta final: é justo, diante disso tudo, que o vereador Renan dos Santos (PC do B), presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Sorocaba, ocupe espaço tão nobre do jornalismo sorocabano, que é o da coluna O Deda Questão, para ajudar a vender a ideia de que agora haverá atenção na porta de entrada da saúde, mas se “esquecendo” de dizer tudo que aqui lembro?

Espaço aberto

Como sempre, o espaço na coluna (na rádio ou aqui no blog) está aberto a quem quiser se manifestar.

2 Comentários

  1. O estado político sorocabano realmente está cada vez mais desfalcado de cidadãos realmente sensibilizados com as necessidades do povo dessa maravilhosa cidade. O que diriam ilustres da nossa cidade como Matheus Maylasky ou Rafael Tobias de Aguiar que investiram recursos próprios na gestão pública e desenvolvimentos social e industrial para que essa cidade se torna-se não só uma comunidade capaz de suprir as necessidade básicas de seu povo, mas um exemplo de cidadania coletiva.

  2. It is in point of fact a nice and helpful piece of information. I’m satisfied that you shared this helpful info with us.
    Please stay us informed like this. Thank you for sharing.

Comments are closed.