“The Good Fight” usa roteiro inteligente para criticar política e radicalismo do mundo

Divulgação

Por Erick Rodrigues

Acho que posso dizer que muita gente, de diversas partes do mundo, é capaz de concordar que estamos vivendo tempos estranhos. Mesmo em realidades distintas, pessoas enfrentam cenários políticos instáveis, manifestações constantes de ódio, intolerância, radicalismos e preconceitos. “The Good Fight”, o spin-off da igualmente ótima “The Good Wife”, discute todos esses assuntos na segunda temporada, disponibilizada pelo serviço de streaming do canal CBS, nos Estados Unidos, e no Amazon Prime Video para os brasileiros.

Depois de uma primeira temporada mais focada na jovem advogada Maia (Rose Leslie) e no escândalo financeiro que envolve a família dela, o segundo ano da série volta a priorizar Diane Lockhart (Christine Baranski), que passa a maior parte dos episódios perturbada com os rumos que o mundo tem tomado. Incomodada pela vitória de Donald Trump para a presidência e todos os efeitos que isso causou, a advogada também passa a viver em extrema tensão por conta da violência sofrida contra outros profissionais da área.

A “caçada” aos advogados que se estabelece em Chicago, com vários profissionais vítimas de atropelamentos e tiroteios, mexe com os ânimos do escritório Reddick, Boseman & Lockhart. Em meio a essa tensão, Liz (Audra McDonald) assume o lugar do pai e se torna uma das principais sócias da empresa. A chegada dela, vinda da promotoria, gera alguns conflitos com alguns dos principais clientes do escritório, que não possuem um passado muito limpo.

A polícia norte-americana está constantemente presente na rotina do escritório na segunda temporada. Os advogados participam de um processo de seleção para poderem representar o Partido Democrata, que busca argumentos e meios legais para entrar com um pedido de impeachment contra Trump. Tudo isso resgata Ruth Eastman (Margo Martindale), representante dos democratas, já vista em “The Good Wife”, que alimenta a competição entre os escritórios concorrentes e, até mesmo, dentro do grupo de Diane, Liz e Adrian (Delroy Lindo).

Lucca Quinn (Cush Jumbo), antiga parceira de Alicia Florrick (Juliana Margulies), também tem novos conflitos na temporada. Por conta do relacionamento com o promotor Colin Morello (Justin Bartha), a advogada fica grávida e, diante da situação inesperada, questiona os rumos da carreira e a conciliação com a maternidade. As dúvidas só aumentam quando Colin passa a ser cotado como um possível candidato ao Congresso.

Divulgação

Seguindo a vocação política da série original, “The Good Fight” usa o roteiro inteligente para falar e questionar a política norte-americana. Com sarcasmo, bons diálogos e reviravoltas curiosas, a série critica diversas questões relacionadas ao governo de Donald Trump, em especial os escândalos pessoais envolvendo presidente e as políticas que atingem os imigrantes que vivem no país. Discussões sobre racismo e representatividade também estão presentes.

Mais do que a política, “The Good Fight” procura questionar o mundo em que vivemos, marcado por constantes manifestações de radicalismos e ódio. Mesmo que escolha situações comuns aos norte-americanos e use a “caçada” aos advogados como uma ferramenta para retratar um cenário de tensão, qualquer espectador do mundo é capaz de entender os sentimentos e dúvidas que surgem nas cabeças dos personagens.

O elenco continua sendo um grande diferencial de “The Good Fight”, equilibrando personagens regulares com participações especiais. Christine Baranski, Delroy Lindo, Cush Jumbo, Sarah Steele e Nyambi Nyambi estão entre os principais destaques da temporada, que ainda traz as excelentes presenças esporádicas de Margo Martindale; Carrie Preston, como a impagável advogada Elsbeth Tascioni; Jane Lynch; e Dylan Baker, vivendo o controverso Colin Sweeney.

“The Good Fight”, já renovada para a terceira temporada, mesmo não sendo tão popular, é uma das melhores séries em exibição atualmente. Com humor e inteligentes críticas políticas, a série se propõe a dialogar e questionar o mundo em que vivemos, tão tenso e radical quando a “caça” aos advogados de Chicago.

THE GOOD FIGHT (segunda temporada)

ONDE: Amazon Prime Video (Brasil) e CBS All Access (Estados Unidos)