Os melhores filmes da Marvel em 10 anos de Universo Cinematográfico

Foto: Divulgação

Por Erick Rodrigues

A primeira vez em que o milionário Tony Stark (Robert Downey Jr.) vestiu o traje de Homem de Ferro para enfrentar uma ameaça nas telonas também ficou marcada como o capítulo inicial de um projeto de criação de um universo compartilhado de personagens no cinema, baseado em clássicas e, em alguns casos, pouco conhecidas histórias em quadrinhos.

Desde “Homem de Ferro”, lançado em 2008, dez anos se passaram desde o início do Universo Cinematográfico da Marvel, que, hoje, conta com 19 filmes e ajudou a elevar o patamar dos filmes de super-heróis e, inclusive, colaborou na sustentação do que pode ser classificado atualmente como um gênero, que soube preservar características essenciais dos longas de ação e aventura e, ao mesmo tempo, evoluiu na preocupação com os roteiros.

A estreia do ótimo “Vingadores: Guerra Infinita”, que segue em cartaz batendo recordes de bilheteria, coroou os dez anos desse universo de heróis, deixando o caminho aberto para um futuro promissor e, também, tornando inevitável olhar para trás e analisar toda a trajetória construída até aqui desde o primeiro filme com Tony Stark.

Pensando nisso, resolvi listar os cinco melhores filmes do universo Marvel nesse período. É claro que, mesmo tentando analisar as características dos longas, toda escolha é feita por aspectos objetivos e pessoais, que nem sempre geram concordância. Por isso, essa não é uma lista definitiva ou incontestável, representando apenas as preferências deste que escreve essas linhas. Vamos aos filmes:

Foto: Divulgação

1) PANTERA NEGRA (2018)

O filme de Ryan Coogler está no topo da lista porque trouxe algo a mais do que as outras produções do gênero. Além de ser um filme de super-herói, “Pantera Negra” surgiu no momento ideal, propondo um pano de fundo repleto de discussões relevantes que dialogam com o mundo em que vivemos. Ao assumir o trono de Wakanda, T´Challa (Chadwick Boseman) discute se deve “abrir” seu reino para o resto do planeta, compartilhando sua cultura e tecnologia e se dispondo a receber esse retorno, seja ele bom ou ruim, um debate importante em um mundo que discute, hoje, a construção de muros e o isolamento de nações. Como se não bastasse, o filme ainda apresenta questões raciais e retrata a raiva que move, cada vez mais, as escolhas e reações das pessoas. A trilha sonora e a construção dos personagens, especialmente o vilão Killmonger (Michael B. Jordan), completam as qualidades do longa.

Foto: Divulgação

2) GUARDIÕES DA GALÁXIA (2014)

A reunião, aparentemente improvável, de tipos curiosos acabou construindo um dos filmes da Marvel com mais personalidade nesses 10 anos. “Guardiões da Galáxia” surgiu com a proposta de apresentar um novo grupo de heróis, até então pouco conhecido fora do círculo de leitores de quadrinhos. O resultado foi mais do que satisfatório. O roteiro bem estruturado apresentava novos aspectos a esse universo interligado, além de uma apresentação de personagens mais sólida e que, ao mesmo tempo, deixava pontas soltas para que fossem desvendadas no futuro. Com um humor preciso, utilizado nos momentos certos, “Guardiões da Galáxia” também se destaca por ser um filme musical, que usa a trilha sonora de forma inteligente, incorporada à narrativa.

Foto: Divulgação

3) VINGADORES: GUERRA INFINITA (2018)

Reunir tantos heróis em um mesmo filme, equilibrando suas características e importâncias, parecia algo muito difícil de dar certo. Contra todos os temores e armadilhas que a proposta poderia gerar, “Vingadores: Guerra Infinita” acabou surpreendendo positivamente. Dividindo os personagens em núcleos, o roteiro faz escolhas inteligentes para não desvalorizar ou apressar a reunião dos heróis, diluindo, a cada cena, a preocupação com o tempo de tela dos personagens. Mesmo haja opiniões diferentes sobre a participação de um ou outro, o equilíbrio do resultado final funciona. A construção do vilão Thanos é outra boa característica do filme, mostrando aspectos contraditórios e os propósitos do antagonista, que acredita em seus ideais.

Foto: Divulgação

4) CAPITÃO AMÉRICA 2: O SOLDADO INVERNAL (2014)

Bem melhor do que o primeiro filme solo do herói, “Capitão América 2: O Soldado Invernal” se mostra, hoje, uma importante peça de construção do Universo Cinematográfico da Marvel, que desencadearia uma série de acontecimentos relevantes para outras produções. Após “O Primeiro Vingador”, o Capitão América volta para lidar com uma conspiração envolvendo a S.H.I.E.L.D., agência que espionagem que contava com a confiança do herói. Bem amarrado, o filme tem um roteiro cheio de reviravoltas, boas sequências de ação e um aprofundamento interessante dos personagens. Fundamental, inclusive, para a sustentação de “Guerra Civil”, o terceiro filme solo do Capitão América, que viria depois.

Foto: Divulgação

5) GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 (2017)

Mais difícil do que criar algo novo é avançar em referências já estabelecidas e, ainda, apresentar outros diferenciais. Mesmo com a ingrata missão, “Guardiões da Galáxia Vol. 2” não fez feio e acabou estabelecendo a franquia como a mais regular dentro do universo Marvel. Já apresentados, os personagens aprofundam as relações entre si e, também, lidam com algumas novidades. O roteiro é sólido e divertido, mesmo utilizando algumas soluções óbvias. A boa utilização da música, característica marcante da franquia, volta e, mesmo não tão impactante como no primeiro filme, faz toda a diferença, assim como a estética inspirada. O humor, apesar de soar exagerado em algumas sequências, também tem um papel importante no filme.