“A Teoria de Tudo” e vencedor do Oscar eternizam Stephen Hawking no cinema

Eddie Redmayne como Stephen Hawking em "A Teoria de Tudo" - Divulgação

Por Erick Rodrigues

Considerado um gênio da ciência e responsável por um legado nesse universo, Stephen Hawking, que morreu nesta quarta-feira (14), aos 76 anos, também chamou a atenção do cinema e ficou eternizado, também, na sétima arte com o filme “A Teoria de Tudo” e a atuação vencedora do Oscar de Eddie Redmayne.

Lançado em 2014, “A Teoria de Tudo” é baseado no livro homônimo de Jane Hawking, que foi casada com o cientista. O filme mostra o cientista desde a juventude até a idade adulta, além de destacar a busca do físico para descobrir uma fórmula que possa a explicar a origem do mundo que nos cerca.

Ainda estudante, Hawking mostra uma capacidade incomum com os números. Na mesma época, conhece e se apaixona por Jane (Felicity Jones). No auge da relação, o cientista descobre ter Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa que atinge os movimentos musculares.

Hawking recebe dos médicos uma expectativa de vida de dois anos e, por isso, decide se casar com Jane e viver o máximo de tempo possível a relação. O tempo passa, chegam os filhos, as dificuldades motoras aumentam e, aos poucos, o cientista vai contrariando todos os prognósticos.

Além de mostrar a luta de Hawking contra a doença, o longa também foca nas dificuldades vividas por Jane, que, em muitos momentos, abriu mão dos próprios planos para cuidar do marido e da família.

Com uma trama até bem tradicional, “A Teoria de Tudo” é um filme feito para valorizar o trabalho de Redmayne e, por consequência, a figura de Stephen Hawking. Além da semelhança física, o intérprete do cientista mostra um trabalho corporal preciso e sem exageros. Até aqui, é um dos grandes trabalhos da carreira diversificada de Redmayne.

Stephen Hawking deixou um legado para o mundo da ciência e influenciou muitos com a superação da doença, que, a princípio, deu a ele uma expectativa de vida curta. Sempre fascinado por boas histórias, o cinema não deixou isso passar e eternizou esse personagem do mundo real em “A Teoria de Tudo”.