Entrevistado desabafa: “ainda é preciso ter coragem para falar sobre HIV/aids”

O entrevistado da edição da Live do Ipa Online da tarde desta quinta-feira (8), Bruno César, que revelou ser portador de HIV positivo, desabafou em uma carta enviada à redação sobre o preconceito que todos acabam sofrendo após assumir a condição.

Ainda no texto, Bruno agradece o Sistema Ipanema de Comunicação, em especial o diretor Kiko Pagliato, por abrir as portas para tratar de um assunto ainda considerado polêmico em tempos atuais.

Na carta, Bruno comenta sobre sua coragem de falar sobre o assunto.

Leia na íntegra

“Salaam Aleikum. Bom dia, Kiko e Gabriel. Kiko, a coragem as vezes salva uma geração.  E, ontem, você ajudou de maneira grandiosa a salvar uma. Obrigado pela coragem de comprar essa briga, pela coragem de expor a sociedade de forma geral o que há por traz de tudo que se relaciona à aids. Pela coragem de falar sobre o que ninguém quer ouvir, ainda mais em uma época de festa, e pela coragem que teve em expor seu público, seus anunciantes, seus colaboradores a uma pessoa com tanta coisa pra dizer, com tão pouco de alegria pra expressar, e principalmente sem travas na língua pra gritar sobre o que é verdade, e não sobre o que gostariam de ouvir. A bagagem, as palavras, a vontade de dizer, de orientar, de se fazer ouvir, está sempre comigo 24 horas por dia, e as levo pra onde quer que eu vá.

Mas, sem sua coragem pra tornar isso possível, para abrir as portas e microfones e câmeras, para ouvir tudo que eu tinha a dizer, de nada valeria ou significaria tanta coisa a ser dita. Então, Kiko, não me resta muito, a não ser te agradecer, por eu ter dormido até agora, 1 hora da manhã, o melhor sono dos últimos anos. O sono do alívio, o sono dos justos.

Obrigado em meu nome, em nome da minha família, em nome dos que não estão mais aqui para sequer poder te agradecer. Obrigado a toda sua equipe, que com muito carinho me tratou, sem dó, sem piedade, mas com muito respeito, com sensibilidade pra abordar o assunto e sem medo do que receberia como resposta. Nunca vou poder te pagar pelo sono dormido, pelas palavras ditas, pelo peso retirado das minhas costas. Mass posso sim oferecer a ti, ao Gabriel, à sua família, toda sua equipe, meu carinho, minha amizade que é muito sincera e verdadeira, minha honestidade,  minha eterna gratidão, e minha para sempre admiração, por sua coragem e desprendimento em favor e à  favor  da informação.

Fico por aqui desejando a você, toda felicidade que estou sentindo, e que não sentia há anos. Muita saúde para que continue a prestar esse serviço à sociedade, e ser o bom pai, bom amigo, e bom marido que tenho certeza de que é. Desejo a você sua família, sua equipe, tudo de melhor que a vida pode oferecer, assim como ela bem me oferece. Obrigado, obrigado e obrigado. Em meu nome, e em nome de todos os que não estão mais por aqui e não tiveram a sorte de encontrar alguém como você pra ouvi-los,  famosos ou não, como eu.

Em nome, principalmente Kiko, da minha mãe, que hoje pode dormir, sabendo que o filho dela, pela primeira vez em muito tempo foi dormir, tendo dito tudo que queria dizer, Kiko, só porque você, kiko, quis ouvir. Salaam aleikum. E que deus seja a luz do seu caminho para que você possa iluminar e restaurar a vida de pessoas como eu. Que muito têm a dizer, mas poucos ou nenhum têm ouvido pra ouvir. Você pode dormir sempre sabendo que a partir de hoje é, também, responsável pelo sono mais tranquilo, mais calmo, mais bem dormido, mais descansado de uma mãe, que hoje viu seu filho ir dormir de alma lavada. Eu.

E tenha certeza de que seu nome e de sua família serão frequentes nas orações dessa mãe que tanto crédito tem com o criador, do contrário eu não estaria aqui. Que Deus te abençoe hoje, amanhã, sempre. E, mais uma vez, sem me cansar de dizer. Obrigado. Obrigado. Obrigado. Insha’allah.”

Acompanhe os posts de Bruno pela sua página de Facebook.