Heloísa Negrão, FOLHAPRESS

Um comercial narrado por um pai se gabando sobre seu relacionamento com os filhos e como eles “amam as suas brincadeiras”, contraposto por imagens que mostram que ele não é tão engraçado assim. Um pai meio “tio do pavê”, que dança desajeitado com a filha e tira sarro das namoradinhas do filho adolescente.

A voz de criança finaliza a peça publicitária: “às vezes, ser pai é a coisa mais difícil do mundo, mas vale cada tentativa. Dia dos Pais merece presente”.

Comercial fofo. Bonitinho e com uma narrativa comum na época que antecede o Dia dos Pais (12 de agosto). A única diferença para a maioria dos anúncios de perfume é que a família retratada no comercial é negra.

Publicado no último dia 26, o comercial já teve mais de 17 mil “deslikes” e 85 mil curtidas. O número de reações negativas foi acompanhado por comentários racistas que criticaram a presença só de negros no comercial.

“Pouco criativa e racista. Vamos misturar essa família aí”, diz um comentário.
“O Boticário só fabrica perfume para afros? Acho que estou usando a marca errada”, afirma outro.

“Ué. Nem pra colocar pelo menos a empregada branca em, (sic) faltou diversidade. Racismo inverso existe, isso é a prova”, escreveu um usuário.

“É tanto vitimismo que acham que os deslikes são racismo, quero ver um vídeo nesse YouTube que não tem deslike”, dizia um dos poucos comentários recentes e que criticava os outros comentaristas.

No Twitter, um usuário perguntou se o Boticário também iria fazer uma propaganda só com índios.

Assim como as 85 mil reações positivas, a grande maioria dos comentários enaltece a marca e o vídeo, criado pela agência de publicidade AlmapBBDO.

A marca usou o próprio canal no YouTube e sua conta no Facebook para se posicionar contra os comentários racistas.

“Já faz bastante tempo que trazemos representatividade e diversidade para as nossas campanhas. E temos muito orgulho disso. Mas as reações que o nosso filme gerou só mostram pra nós que temos muito trabalho a fazer. A gente acredita no respeito a todas as pessoas e deseja que, em breve, isso não seja mais motivo de desconforto pra ninguém.”
Também na conta do Instagram, a marca postou um vídeo escrito “Representatividade Importa. Respeite a diversidade”, ilustrado com vários emojis brancos e negros.

Até a madrugada desta terça-feira (31), quatro dias após o lançamento, o vídeo já havia sido visto mais de 6,4 milhões de vezes. A campanha com a modelo Gisele Bündchen, feita há três meses, tem 8,9 milhões.

Em 2015, a marca fez uma comercial para o Dia dos Namorados que mostrava casais homossexuais e foi contestada no Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), que na época recebeu 30 reclamações que questionavam a moralidade da propaganda.

1 Comentário

  1. Infelizmente, cada dia mais, a chamadas “raças” estão se tornando cada vez mais “panelinhas”, onde cada raça se sente “discriminada” sobre tudo e sobre nada !

    Todos querem ter “Direitos Exclusivos”, mas ninguém quer “Deveres Exclusivos”.

    Fica ai a Hipocrisia do “Venha nós a nosso Reino” e os outros que se “lasquem” !

    Tudo hoje ofende, tudo hoje é bullyng, tudo hoje é racismo, onde educar é crime e cometer crime é “cultura”.

    Gerações e gerações de “mimis” e “Nutellas”, que não pensam em nada que não seja nos seus “umbigos” e “ostentar” nas redes sociais, disputando que é melhor que o outro !

    Sou de TI ha 25 anos, mas detesto admitir: A Humanidade ainda não está pronta para a Internet e seus “encantos” !

    Não demorará muito para começarem divisões mais “radicais” e “guerras” geradas não mais por terras, religião (Síria) ou poder, e sim, por se sentir “MELHOR” que os outros e que merecem mais do que os outros !

    “Digo a verdade, doa a quem doer”

Comments are closed.