Com youtuber Kéfera, ‘Gosto se Discute’ desperdiça boas sacadas

Foto: divulgação

Marina Galeano, FOLHAPRESS

Uma crise profissional e criativa combinada com o drama de um amigo da família que perdeu o paladar por causa de um câncer. Esses ingredientes reais serviram de inspiração à comédia gastronômica “Gosto Se Discute”, dirigida por André Pellenz.

Também responsável por “Detetives do Prédio Azul” (2017) e “Minha Mãe É uma Peça” (2013), Pellenz conta que a ideia do filme surgiu num momento de estagnação da própria carreira e em meio à doença do amigo.
Apesar do potencial dramático da receita, o diretor buscou costurar as duas situações de maneira leve e divertida, moderando nas doses de tensão ao longo da narrativa.

O prestigiado chef Augusto (Cássio Gabus Mendes) já viveu dias de glória em seu bistrô. Porém, acomodado e contrário a mudanças, ele para no tempo e vê sua clientela migrar para o food truck de Patrick (Gabriel Godoy), um cozinheiro moderninho e arrogante.

A inércia no Gusto só é quebrada com a chegada arrasadora da jovem Cristina (Kéfera Buchmann), auditora enviada pelos investidores do restaurante, que promove uma revolução no estabelecimento e na vida de Augusto.

Pressionado a criar um novo cardápio, o chef perde o paladar no auge da turbulência e se desespera. Nem mesmo os conselhos duvidosos de um médico caricato (Paulo Miklos) conseguem amenizar o problema.
Grande chamariz do longa-metragem, Kéfera precisou fugir do jeitão escrachado que a consagrou na internet para compor a personagem. Embora saia do tom em algumas cenas, a famosa youtuber mostra evolução como atriz -principalmente em relação à sua estreia nos cinemas, no infantojuvenil “É Fada” (2016).

A parceria na tela com Cássio Gabus Mendes flui bem. Entretanto, quando a coisa se encaminha para um romance, o bolo desanda. Não dá liga.
Vale dizer também que a melhor sacada do filme -o fato de um renomado chef ter perdido o paladar- não é explorada, e a trama acaba conformada com o lugar-comum.

Os destaques vão pra conta do humor sutil dos coadjuvantes Robson Nunes e Ronaldo Reis (garçons do bistrô) e da fotografia, que consegue reproduzir de forma convincente a atmosfera de um restaurante e deixar o público com fome.

Cozinhado em fogo baixo, “Gosto Se Discute” não enche a barriga. Em compensação, não desanda em nenhum momento. Uma comédia avessa a exageros, que regula no sal, mas bota na mesa um feijão com arroz honesto e despretensioso.

GOSTO SE DISCUTE

DIREÇÃO André Pellenz
ELENCO Cássio Gabus Mendes, Kéfera Buchmann e Gabriel Godoy
PRODUÇÃO Brasil, 2017, 12 anos
QUANDO estreia nesta quinta (9)
AVALIAÇÃO regular