Foto: Divulgação

Por Carlos de Mattos

Cloud e DevOps tornaram-se o novo padrão, levando as organizações a buscarem cada vez mais a próxima geração de ferramentas e serviços inteligentes, com o objetivo de suportar os processos de build, deploy e testing, implementando modelos de entrega contínua, que garantem a execução e segurança das aplicações, simultaneamente melhorando o time-to-market. São muitos os desafios relacionados à performance, segurança e customizações, a serem vencidos.

Os times de desenvolvimento e IT, nas grandes organizações, operam de forma completamente diferente do que uma década ou até mesmo cinco anos atrás. O novo padrão de desenvolvimento está redefinindo a maneira que as equipes de tecnologia criam, executam, gerenciam e protegem suas aplicações.

As grandes corporações estão, gradativamente, substituindo seus servidores on-premise, e os tradicionais datacenters por nuvens públicas e privadas. O legado de aplicações monolíticas será substituído por soluções ágeis, baseadas em arquitetura de micro serviços, agnósticos de plataformas.

Para se manterem competitivas, as empresas devem inovar constantemente. Seus clientes esperam soluções personalizadas que antecipem suas necessidades. Não há espaço para atualizações anuais ou períodos de downtime para manutenção das aplicações. Nossos clientes esperam ter acesso aos dados em tempo real, a qualquer hora do dia ou da noite.

As organizações mudaram para atender esta nova realidade. No lugar de times de desenvolvimento e infraestrutura isolados, surge a abordagem DevOps, onde os dois times compartilham responsabilidades, trabalham em conjunto, acelerando drasticamente o processo de desenvolvimento, e possibilitando identificar e corrigir problemas de performance mais rapidamente.

Muitas empresas adotaram o desenvolvimento ágil e entrega contínua, abraçando a nuvem e a abordagem DevOps para forçar atualizações diárias ou semanais, acelerando o time-to-market. Contudo, com este novo padrão, surgem novos desafios. Os times não precisam mais se preocupar apenas com seu legado de aplicações client-server rodando em seus próprios servidores. Eles agora têm ambientes em nuvens públicas, privadas ou híbridas para gerenciar, além da sua tradicional arquitetura.

A grande diversidade de ferramentas e serviços oferecidas pelos principais cloud providers, aumentam a complexidade deste cenário, podendo afetar a produtividade das empresas em relação ao gerenciamento e monitoramento dos seus sistemas e aplicações, pela falta de um planejamento estratégico ao migrar para a nuvem.

As organizações precisam ter visibilidade total sobre seus sistemas. O suporte de especialistas pode ajudá-lo a superar esses desafios, reduzindo o tempo de entrega de soluções, aumentando a segurança das suas aplicações e tornando sua empresa mais competitiva.

Carlos de Mattos é pai, professor, escritor e palestrante, apaixonado por tecnologia. Formado em Ciências Econômicas pela Universidade de Sorocaba, atua na área de desenvolvimento de software para o mercado corporativo desde 1998. Reconhecido pela Microsoft, como MVP, por 12 anos consecutivos e como Microsoft Regional Director, em 2017, pelas suas contribuições para as comunidades técnicas e acadêmicas. Mattos é Chief Architect e Head of Technology and Architecture no Grupo GFT.